9/30/2003 01:56:59 PM

Alguem sabe como eu faço pra consertar essas margens? já tentei um bocado de coisa mas minha incompetencia virtual é enooorme. assim tá comendo as primeiras letras da linha.

Anúncios

9/29/2003 01:59:04 PM

criativo e barato

Esse post é dedicado à pessoa que chegou aqui, procurando no Google por ¿presente de casamento criativo e barato¿

Por incrível que pareça ainda tem gente que se casa, hoje em dia. Eu mesma fui uma das incautas que mesmo sem ser católica, subiu ao altar de uma igreja, toda vestida de branco e disse ¿SIM¿!. É bem verdade que casar, assim, de papel passado nunca fez parte dos meus sonhos. Eu sempre quis um amor ao meu lado, mas sem precisar assinar documento nenhum! Acontece que o casamento na igreja atende a todas as compreensões. Desde aquela sua amiga muitcho doida, até a avó do seu marido que mora nos Cafundós do Judas, todos vão saber exatamente sua situação civil depois da cerimônia. Se você resolver apenas juntar as escovas de dente, fica sujeito a alguns não captarem o recado).

Já diz o ditado que …Quem casa quer casa… então nada mais justo do que dar aos noivos coisas úteis, pois montar uma casa não é fácil. Sabemos também que a grana anda curta pra todo mundo (que dizer: quase todo mundo) por isso nessa hora é importante usar a criatividade para presentear. Eu, que gosto de fazer listas, deixo esta aqui, com 10 sugestões.

*Potinhos decorados para guardar tempero ¿ Básico: descole com alguma amiga que tenha filho bebê (e não seja radical) alguns potinhos da Nestlé vazios, consiga com aquela sua tia velhinha (ou sua vó, ou mãe, ou sei lá) retalhos coloridos bem bonitinhos, Corte no tecido círculos de mais ou menos 10 cm de diâmetro e amarre na tampa dos potinhos, fazendo um capuz para cada um. No computador faça rótulos com os nomes dos temperos e sua serventia. Este tempera carnes, saladas…, aquele é bom para molhos e peixes) no blog de Lu Naomi ela uma vez colocou um link pra uma página que explicava isso tim-tim por Tim-tim. Ai é só escolher uma letra bem bacana (e legível de preferência) imprimir e colar em cada vidrinho seu rótulo. Seja uma amiga legal, gaste mais 10 reais e compre os temperos. Já dê os potinhos cheios.

*Kit Lua de Mel – Apimente a lua de mel dos seus amigos casadoiros. Compre uma caixinha decorada numa papelaria. Dentro dela coloque 1 oleo para massagem, uma pena, uma venda para os olhos (ou você compra numa sex shop, ou pega de estojinho de avião), sais de banho aromáticos, 1 KY, 2 trufas com cereja, 1 garrafinha de licor de chocolate.

*Panela de barro– Esse presente é bem legal. Se sua amiga não gosta de cozinhar e vive comendo fora, a panela vai acabar servindo como decoração.

*Velas aromáticas e incensos com porta-incenso– Essa é a pedida ideal praquela amiga meio hippie, tirada a esotérica. Ela vai adorar deixar a casa cheirosinha e limpa das energias ruins.

*Mapa astral do casal– Outra dica pros mais bicho-grilos. Descubra as datas e locais de nascimento dos noivos e encomende os mapas dos 2. Não seja pão dura e coloque-os em molduras.

* Álbum de fotografias de papel reciclado– Procure nas casas do ramo e compre um álbum bem bonito pra os noivos colocarem a fotos da lua de mel.

*Farmacinha de primeiros socorros– Passe numa farmácia e compre algodão, gaze, band-aid, esparadrapo, um vidro de Sanativo, um Souci, uma água oxigenada (não a de dourar pelos!!!), um Caladryl, uma Espinheira Divina da Klein, um remédio para dor e um vidrinho de floral Rescue, para acalmar os ânimos. (eu quando me mudei não tinha nada disso, minha farmacinha foi se formando com o tempo)

*Dois pares de pantufa– Tem coisa mais gostosa do que acordar de manhã e encontrar uma pantufa ao pé da cama?

*Uma mini hortinha– Compre um vaso grande e plante: salsa, coentro, alecrim, manjericão e manjerona. Se sua amiga gostar de plantas ela vai adorar.

*Uma panela de Fondue– Tá certo: isso não é lá muito criativo, nem barato, mas ninguém me deu no casamento e me faz a maior falta!

9/25/2003 09:30:38 AM

Post comemorativo de 1000 visitas

(para ser lido ao som de: Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar. Ou não)

Hoje liguei meu PC e tive uma grata surpresa: meu contador acusa mais de 1000 visitas. Pode parecer pouco, se comparado com alguns super-blogs, mas pra mim, que comecei isso aqui, assim, meio como quem não quer nada, é um número grande. Para comemorar a casa do milhar (não confundir com o show do milhão) dei um passeio pelo sitemeter e procurei as buscas mais nonsenses que os navegantes fizeram para chegar até aqui. Teve gente procurando promoção para ir para Londres grátis(aliás, aviso que se a pessoa achou a tal promoção, me passe que eu também quero!), Filme pornô com Vanusa(putz, que falta de gosto), imagens de brócolis!!!, Uma lenda urbana de câncer cerebral(essa eu nunca ouvi), dicas para presente de casamento original e barato (essa eu até achei uma boa idéia, em homenagem vou escrever futuramente um post com as tais dicas) e muitas outras pirações como papeis de parede de bob esponja, super poderosas e um etcetera imenso.

As vezes dá até vontade de escrever algo bem bizarro do tipo: Sandy, Wanessa Camargo e Kelly Key, em orgia na festa da Giovanna, com o Erik Marmo pelado e a Tiazinha pagando um boquete para o Mario Frias. e juntar mais umas 200 palavras que os adolescentes e punheteiros de plantão procuram (é meus queridos, tem gente pra tudo nesse mundo!) e ver a enxurrada de visitas. Mas depois eu penso melhor e fico achando que qualidade é bem melhor que quantidade. Imagino a cara que o incauto visitante vai fazer ao se deparar com esse blog-quase-careta, sem nada de putaria, nem perversões. Já pensaram? Aquele adolescente cheio de espinhas e cabelos na mão, procurando uma suruba global e encontrando isso daqui? Por essas e outras eu prefiro contar com a presença (e paciência) de vocês, meus queridos amigos e leitores, que volta e meia passam por aqui para dar cor aos meus Trapinhos.

9/19/2003 10:39:32 PM

a semana dos animais

Maria tinha quatro anos, olhos de caleidoscópio e muita imaginação. Na semana anterior tinha chegado em sua casa um aviso mimeografado da escola. ¿Semana dos animais. Se você tem um bichinho de estimação, está na hora de deixar seus coleguinhas conhecerem ele. A Escola Lápis de Cor estará comemorando a Semana dos Animais, nos dias 20 a 25 deste mês. Na quarta-feira vamos fazer um concurso para escolher o bichinho mais bonito de todos. Não fique de fora dessa!¿

Maria não falava em outra coisa. Depois de pensar muito, decidiu-se por levar o macaquinho sagüi de sua tia. Ela até tinha cachorro em casa, mas cachorro todo mundo tem, não tem graça nenhuma. Tentou também caçar uma lagartixa, mas as lagartixas são muito rápidas. Sua idéia era dizer aos colegas que era um filhote de jacaré, e ia ganhar o prêmio com certeza. Sua avó ofereceu o gato gordo emprestado, criatura mais inútil, não ia dar ibope. A melhor solução era o macaquinho. Manso como ele só, o bichinho andava nos ombros de todos e ficava caçando piolhos nas cabeças, uma delícia. A tia da menina só impôs uma condição: Para levar o Zezinho, tem que levar a gaiola dele também. Lá tem os paninhos que ele dorme e se ele ficar nervoso com tanta criança, é só deixar a portinha aberta que o bichinho entra como um raio e se esconde. Maria rapidamente pensou num grand finale para a festa. Ia deixar o sagüizinho bem cansado e no fim do desfile abria a gaiola e pronto, como mágica o macaco desapareceria.

No domingo foram na casa da tia buscar a gaiola. Zezinho só iria na terça a noite. Maria passou os dias que faltavam para a competição, fazendo o maior suspense com seus colegas (propaganda é a alma do negócio). Traria um bichinho tão espetacular que todos ficariam sem fôlego só de vê-lo.

Na terça feira, a menina passou a tarde inteira enfeitando a gaiola, pegou umas flores de plástico no canteiro da janela, papel celofane palitos de picolé e purpurina. A casa teria que ser digna do seu dono, o animal mais espetacular de todos, o que ganharia o primeiro prêmio. Quando caiu a noite, a sala estava uma bagunça e Maria elétrica. Ainda suja de purpurina e com as mãozinhas coloridas de papel celofane, ela estava satisfeita com o seu trabalho.

Quando a mãe chegou do escritório tomou um susto. O relatório que teria que entregar no dia seguinte para o chefe de seu chefe, que tinha vindo de São Paulo só para vê-la, estava em pandarecos. As pontas rasgadas, purpurina colada e uma flor recortada bem no meio da primeira página. Vocês sabem como os adultos podem ficar nervosos com coisas assim. A mulher ficou enfurecida. Tinha demorado 2 meses elaborando esse trabalho e seu computador tinha dado pau, logo depois dela imprimir a última página.

Não adiantou nada Maria explicar que ela precisou de um modelo para cortar o celofane certinho e nem dizer que o trabalho da mãe tinha ficado até mais bonito assim colorido. Gente grande não entende essas coisas. A mãe estava com muita raiva e decretou: Amanhã você não vai levar bicho nenhum pra escola, nem adianta reclamar. Vá tomar banho, escovar os dentes e dormir imediatamente.

Quando terminou de falar, a mulher olhou nos olhinhos cor-de-tempestade da menina. Eles estavam arregalados. Grandes, secos e sem uma lágrima sequer, eram olhos de desilusão. Toda sua raiva desapareceu naquele instante. Ela se deu conta do que havia feito. Teve vontade de abraçar a filha e dizer que deixasse pra lá, podia levar macaco, gaiola e o que mais quisesse. Mas palavra de mãe é igual a palavra de rei, não pode voltar atrás. A criança saiu cabisbaixa, sem dizer uma única palavra e foi tomar banho.

Durante a noite, ninguém naquela casa dormiu. Uma se achando a pior pessoa do mundo e a outra pensando.

No dia seguinte, na hora do café, a mãe estava procurando uma forma de se redimir e fez torradas quentinhas com geléia de morango, bem vermelha e cheia de sementinhas, como a menina gostava. Maria se arrumou sozinha, foi até a mesa e antes de sequer olhar para as delicias, perguntou solene: Mãe, eu já sei que não posso levar o Zezinho, não vou pedir. Mas a gaiola vazia eu posso?

A mãe não esperava por essa. Sentiu-se uma megera, mas agora é que não podia voltar atrás mesmo, Maria tinha entendido bem o recado. Não adiantava fingir que nada tinha acontecido senão a menina perdia o respeito, diziam os psicólogos. Então ela respondeu rápido para sua voz não tremer: Vá lá. A gaiola vazia você leva.

O rostinho da criança se iluminou. Maria deu um beijo estalado na mãe e foi correndo buscar a gaiola no quarto. Colocou um saco de lixo preto cobrindo-a para fazer suspense, comeu suas torradas com Nescau e foi para a escola de mãos dadas com a babá cantarolando uma música inventada naquele momento.

Quando a mãe chegou no trabalho, o santo homem que conserta computadores tinha ajeitado sua máquina e recuperado todo o arquivo perdido. Bastou imprimir de novo e apresentar na reunião, seu relatório fez o maior sucesso. Porém nenhum dos elogios que lhe fizeram, pôde desviar seu pensamento da única coisa que importava em sua vida. O olhar de desilusão naqueles olhinhos cor-de-caldo de cana.

Já eram quase 5:30 quando Maria saiu pelo portão da escola e entrou correndo no carro da mãe dando-lhe um beijo cheio de alegria: Mãe, ganhamos o primeiro prêmio.

A mulher não entendeu direito e pediu para a pequena repetir.

É isso mesmo que você ouviu, o primeiro lugar é nosso. Olhe aqui a medalha. Falou cheia de orgulho apontando pro próprio peito onde brilhava uma medalha redonda de papel dourado que dizia: ¿1o lugar. O bicho mais lindo da feira.¿

A mãe ainda meio confusa, disse: Maria você trouxe a gaiola vazia mesmo? Como combinamos?

E Maria rindo explicou… Mãe lembra aquela noite que você contou a historinha do rei que desfilou nu? Pois é: eu ontem fui dormir muito triste. Ai eu sonhei com os alfaiates da história, aqueles que enganaram o rei, fingindo que faziam uma roupa linda que só os inteligentes poderiam ver. Quando eu acordei e olhei para a gaiola, tive uma idéia. Eu levaria para a feira o Pássaro Invisível. Quando eu cheguei na escola todo mundo queria ver dentro da gaiola, mas eu não deixei. Disse que ele ia ficar nervoso e que podia se machucar. Na hora do desfile, eu fui apresentar meu bichinho e falei assim: aqui está o Pássaro Invisível, como alguns de vocês podem ver. Ele tem as penas coloridas, cada uma de uma cor diferente, o bico dourado é bem fininho serve para ele beber água e comer alpiste. É uma pena que só as pessoas inteligentes possam ver o pássaro. É que ele é mágico. Um encanto de bichinho.

Quando eu terminei de falar, tirei o saco de cima da gaiola e comecei a desfilar. Só ouvi as crianças falando com as outras: ¿Que lindo!¿, ¿Olhe aquela pena cor de rosa no rabo!¿, ¿Nunca vi um bichinho tão bonito!¿ ¿Vou pedir um igual pra minha mãe!¿ Mãe, ninguém teve coragem de passar por burro. Todo mundo ficou batendo palmas e eu ganhei o prêmio. Foi muito melhor que trazer aquele macaco.