1/31/2004 11:26:36 PM

Estava dando um rolé pelo sitemeter pra saber por onde as pessoas navegavam até chegar aqui. alguns vieram de um blog chamado Puta de vida. Fui lá conferir e encontrei este teste:

Que artista de Jazz seria você?

Chet Baker
Voce seria Chet Baker (1929-1988). Chet Baker foi o
expoente maximo do West Coast jazz, estilo
muito em voga nos anos 50. Trompetista e
cantor, o seu estilo intimista atraiu atencoes
que foram para alem da sua musica e, ate ao seu
tragico fim, despedacou coracoes.

Que Artista de Jazz Seria Voce?
brought to you by Quizilla

Anúncios

1/31/2004 10:48:06 PM

Recebi por imeio e vou postar aqui por que achei interessante – não sei quem é o autor, se alguem souber pode me dizer que dou os cráditos…

Meu nome é Afonso Soares de Melo, e resolvi contar algo que

se passou comigo: Estava sentado no meu escritório quando

lembrei de uma chamada telefônica que tinha que fazer.

Encontrei o número e disquei. Atendeu-me um cara mal humorado

dizendo:

– Fale!!!

– Bom dia. Poderia falar com Andréa? O cara do outro lado

resmungou algo que não entendi e desligou na minha cara. Não

podia acreditar que existia alguém tão grosso. Depois disso,

procurei na minha agenda o número correto da Andréa e liguei.

O problema era que eu tinha invertido os dois últimos dígitos

do seu número. Depois de falar com a Andréa, observei o

número errado ainda anotado sobre a minha mesa. Decidi ligar

de novo. Quando a mesma pessoa atendeu, falei:

– Você é um Filho da puta!!! Desliguei imediatamente e anotei

ao lado do número a expressão “Filho da puta” e deixei o

papel sobre a minha agenda. Assim, quando estava nervoso com

alguém, ou em um mau momento do dia, ligava prá ele, e quando

atendia, lhe dizia “Você é um Filho da puta” e desligava sem

esperar resposta. Isto me fazia sentir realmente muito

melhor. Ocorre que a Telepar introduziu o novo serviço “bina”

de identificação de chamadas, que me deixou preocupado e

triste porque teria que deixar de ligar para o “Filho da

puta”. Então, tive uma idéia: disquei o seu número de

telefone, ouvi a sua voz dizendo “Alô ” e mudei de

identidade:

– Boa tarde, estou ligando da área de vendas da Telepar, para

saber se o senhor conhece o nosso serviço de identificador de

chamadas “bina”.

– Não estou interessado! – disse ele, e desligou na minha

cara. O cara era mesmo mal-educado. Rapidamente, disquei

novamente:

– Alô?

– É por isso que você é um Filho da puta!!! e desliguei. Aqui

vale até uma sugestão: se existe algo que realmente está lhe

incomodando, você sempre pode fazer alguma coisa para se

sentir melhor: simplesmente disque 0xx41-7643.6732 ou o

número de algum outro Filho da puta que você conheça, e diga

para ele o que ele realmente é. Acontece que eu fui até o

shopping, no centro da cidade, comprar umas camisas. Uma

senhora estava demorando muito tempo para tirar o carro de

uma vaga no estacionamento. Cheguei a pensar que nunca fosse

sair. Finalmente seu carro começou a mover-se e a sair

lentamente do seu espaço. Dadas às circunstâncias, decidi

retroceder meu carro um pouco para dar à senhora todo o

espaço que fosse necessário: “Grande!” pensei, “finalmente

vai embora”. Imediatamente, apareceu um Vectra preto vindo do

outro lado do estacionamento e entrou de frente na vaga da

senhora que eu estava esperando. Comecei a tocar a buzina e a

gritar:

– Ei, amigo. Não pode fazer isso! Eu estava aqui primeiro! –

O fulano do Vectra simplesmente desceu do carro, fechou a

porta, ativou o alarme e caminhou no sentido do shopping,

ignorando a minha presença, como se não estivesse ouvindo.

Diante da sua atitude, pensei: “Esse cara é um grande Filho

da puta! Com toda certeza tem uma grande quantidade de Filhos

da puta neste mundo!”. Foi aí que percebi que o cara tinha um

aviso de “VENDE-SE” no vidro do Vectra. Então, anotei o seu

número telefônico e procurei outra vaga para estacionar.

Depois de alguns dias, estava sentado no meu escritório e

acabara de desligar o telefone – após ter discado o 0xx41-

7643.6732 do meu velho amigo e dizer “Você é um Filho da

puta” (agora já é muito fácil discar pois tenho o seu número

na memória do telefone), quando vi o número que havia anotado

do cara do Vectra preto e pensei: “Deveria ligar para esse

cara também”. E foi o que fiz. Depois de um par de toques

alguém atendeu:

– Alô.

– Falo com o senhor que está vendendo um Vectra preto?

– Sim, é ele.

– Poderia me dizer onde posso ver o carro?

– Sim, eu moro na Rua XV, n° 527. É uma casa amarela e o

Vectra está estacionado na frente.

– Qual e o seu nome?

– Meu nome e Eduardo Cerqueira Marques – diz o cara.

– Qual a hora é mais apropriada para encontrar com você,

Eduardo?

– Pode me encontrar em casa à noite e nos finais de semana.

– É o seguinte Eduardo, posso te dizer uma coisa?

– Sim.

– Eduardo, você é um grande Filho da puta!!! – e desliguei o

telefone. Depois de desligar, coloquei o número do telefone

do Eduardo (que parecia não ter “bina”, pois não fui

importunado depois que falei com ele) na memória do meu

telefone. Agora eu tinha um problema: eram dois “Filhos da

puta” para ligar. Após algumas ligações ao par de “Filhos da

puta” e desligar-lhes, a coisa não era tão divertida como

antes. Este problema me parecia muito sério e pensei em uma

solução: em primeiro lugar, liguei para o “Filho da puta 1”.

O cara, mal-educado como sempre, atendeu:

– Alô – e então falei:

– Você é um Filho da puta – mas desta vez não desliguei.

O “Filho da puta 1” diz:

– Ainda está aí, desgraçado?

– Siiimmmmmmmm, amorrrrrr!!! – respondi rindo.

– Pare de me ligar, seu filho da mãe – disse

ele,irritadíssimo.

– Não paro nããão, Filho da putinha querido!!!

– Qual é o teu nome, lazarento? – berrou ele, descontrolado!

Eu, com voz séria de quem também está bravo, respondi:

– Meu nome é Eduardo Cerqueira Marques, seu Filho da Puta.

Porquê???

– Onde você mora, que eu vou aí te pegar, desgraçado? –

gritou ele.

– Você acha que eu tenho medo de um Filho da puta? Eu moro na

Rua XV, n°527, em uma casa amarela, e o meu Vectra preto está

estacionado na frente, seu palhaço filho da puta. E agora,

vai fazer o quê???? – gritei eu.

– Eu vou até aí agora mesmo, cara. É bom que comece a rezar,

porque você já era. – rosnou ele.

– Uuiii! É mesmo? Que medo me dá, Filho da puta. Você é um

bosta! E eu estou na porta da minha casa te esperando!!! – e

desliguei o telefone na cara dele. Imediatamente liguei para

o “Filho da puta 2”.

– Alô – diz ele.

– Olá, grande Filho da puta!!! – falei.

– Cara, se eu te encontrar vou…

– Vai o quê? O que você vai fazer??? Seu Filho da puta!

– Vou chutar a sua boca até não ficar nenhum dente, cara!!!

– Acha que eu tenho medo de você, Filho da puta? Vou te dar

uma grande oportunidade de tentar chutar minha boca, pois

estou indo para tua casa, seu Filho da puta!!! E depois de

arrebentar sua cara, vou quebrar todos os vidros desta

porcaria de Vectra que você tem. E reze pra eu não botar fogo

nessa casa amarelinha de bicha. Se for homem, me espera na

porta em 5 minutos, seu Filho da puta!!! – e bati o telefone

no gancho. Logo, fiz outra ligação, desta vez para a polícia.

Usando uma voz afetada e chorosa, falei que estava na Rua XV,

n° 527, e que ia matar o meu namorado homossexual assim que ele

chegasse em casa. Finalmente peguei o telefone e liguei o

programa da CNT “Cadeia” do Alborguetti, para reportar que ia

começar uma briga de um marido que ia voltando mais cedo para

casa para pegar o amante da mulher que morava na Rua XV, n°

527. Depois de fazer isto, peguei o meu carro e fui para Rua

XV, n° 527, para ver o espetáculo. Foi demais, observar um

par de “Filhos da puta” chutando-se na frente de duas equipes

de reportagem, até a chegada de 3 viaturas e um helicóptero

da polícia, levando os dois algemados e arrebentados para a

delegacia. Moral da história? – Não tem moral nenhuma! Foi de

sacanagem mesmo… E vê se atende o telefone educadamente,

pois posso ser eu ligando para você por engano.

1/31/2004 10:44:10 PM

Essa semana foi meio foda pra mim. Desde segunda-feira Júlia ficou desarranjada e toda manhosinha. A pequena só queria colo o tempo todo e qualquer coisa era motivo pra choro. Pra completar o quadro eu estou sem babá. Na quarta eu falei com meu compadre (dindo dela) que é um excelente médico naturopata e ele receitou uma dieta espartana pra a bichinha. Resultado: Julia está bem melhor, mas ficou magrinha e o dengo, ah esse continua. Noite passada foi impossível colocá-la no berço e tivemos uma hóspede na cama do casal. Esta noite ela se recusava a dormir e ficou brincando na minha cama enquanto eu assistia à novela e ao BBB e o pai dela dormia. Ela ia dos pés da gente até em cima dos travesseiros (de onde chutava minha cabeça), passava e beijava minha barriga ¿ acho que querendo que o irmãozinho chegue logo pra brincar com ela.

Por isso eu dei uma sumida esses dias. Não tive tempo de postar nadinha.

1/31/2004 10:41:54 PM

Gente: o que é esse BBB? A Gargamel, agarrou o bonitinho fortão e depois chorava se dizendo muito espiritualizada…, a Dos Infernos tá cada dia mais malévola, a Mãe adolescente colocou sua pequena filhinha pra passar o dia lá dentro ¿ ah ela é o anjo. A Paquita Erótica continua insuportável e todos os outros também (acho que ligar pro CVV às 3 da matina é mais interessante do que assistir àquilo ali).

1/26/2004 11:19:26 PM

Tempo de fartura no Araçá Azul

Como é bom morar em um sítio. Nesse momento minha casa está na maior fartura de frutas. Tem 5 mangueiras produzindo mangas dulcíssimas (meu freezer já tá cheio de polpas) uma jaqueira carregada até o talo (jaca dura, doce e deliciosa), 2 goiabeiras mandando goiabas aos montes para o suco do almoço e um jambeiro enorme com uma lama de frutas embaixo.

No verão passado eu aprendi como aproveitar melhor a safra de jambos (frutinha deliciosa, mas que infelizmente não dá pra sucos e polpas). Hoje eu catei uns bitelos no chão, enchi um caldeirão e fiz uma deliciosa compota de jambos. Agora só estou esperando o doce esfriar pra colocar na geladeira e ir dormir. Amanhã vou levar uns pra minha mãe que ela também adora o doce.

Alguém tá servido?

1/26/2004 11:16:46 PM

Homenagens a São Paulo

Eu me considero uma pessoa extremamente bairrista. Moro numa cidade linda, cheia de cores e com um povo alegre e festeiro. Mesmo assim não pagaria o mico de fazer um post comemorando o aniversário de Salvador ¿ talvez fizesse alguns dias antes, comemorando-a cheia de rios, índios e belas praias, antes dos portugueses resolverem que aqui seria uma cidade. Ontem fui visitar blogs amigos e fiquei de saco cheio: quanta babação de ovo. Eu confesso que não gosto de São Paulo, cidade cinza, barulhenta, cheia de violência, com um trânsito infernal e um povo que se acha primeiro mundo (é claro que tenho ótimos amigos lá, estou falando de maiorias).

Ontem ninguém mereceu um comentário meu e a Globo não teve minha audiência.