6/13/2005 01:21:24 PM

Lindas asas

Educar é dar as filhos raizes e asas; E eu fico enaltecida pelas asas que a minha pequena já mostra ter.

Julinha é muito criativa e eu sempre dou risadas e suas invencionices.

Na escolinha dela, não lemro se já contei, as crianças armam um saquinho de fim de semana. Nele a gente coloca lembranças de tudo que fizemos para as crianças contarem na segunda-feira.

No sábado, eu levei as crianças aqui de casa pro Habbibs e peguei o saquinho de batata frita. No domingo fomos a uma festa de são João e eu larapiamente peguei uma bandeirola. A noite fomos visitar minha cunhada e ela presenteou a sobrinha com um conjuntinho de potinhos plásticos com uma batedeirinha idem.

Saco arrumado com Habbibs, bandeirola e batedeira, Juju foi hoje pela manhã pra aula.

Na hora de busca-la pra casa perguntei à professora: E aí, Júlia lembrou do final de semana?

E ela muito solícita respondeu: -Lembrou sim, contou que foi aniversário dela e vocês fizeram um bolo juntas na batedeira.

Pode uma pessoinha desse quilate? Lembrar que é bom, nada mas a imaginação voa a mil.

Use a imaginação

6/13/2005 01:19:08 PM

Ontem, no carro, voltando pra casa, Júlia pede:

-Mamãe, bota a música da baleia!

Meu pensamento rodou o mundo tentando pensar que raio de música da baleia ela queria. Não encontrei nenhuma.

-Filha, não sei que música é essa. Como é?

-Roda… Roda baleia*, atenção.

*A música em questão é o jingle da bala de leite kids, tocado nos anos 70, que eu gravei numa coletânea que fiz pra ela. No lugar de baleia, a palavra certa é baleiro

Cante pra mim

6/11/2005 11:07:30 PM

pequeno dicionário ilustrado de Antoniês-Português

CaRRo

Mã-Mã

Pai

Gááá

Bó-a

Pá-pa

Vovóf – Vovó Mariinha

Qué – eu quero isso, e quero agora!

Huuuummmmm – Isso na verdade é uma onomatopéia do som que ele faz quando tá retadinho porque não conseguiu algo com o qué!

Tá certo, o vocabulário é restrito mas você está esquecendo da comunicação não verbal. O menino tá mandando bem!

Diga aí

6/11/2005 10:35:30 PM

Meu neném está crescendo

Júlia agora alterna e só às vezes me chama de mamãe. A maior parte do tempo é

minha mãe. Eu acho bonito vê-la crescer, mas nesse ponto fico com uma dorzinha no coração: não tem coisa mais doce e terna do que ouvir a sua vozinha me chamando “mamãe“.

Pra minha sorte ainda tem Tom-tom que já balbucia suas primeiras palavras mas isso é assunto pra um outro post

Minha ma-nhê!!!!!