9/14/2005 10:46:22 PM

Continuando a onda das cirandas

aqui vai minha resposta à ciranda que pesquei na Sweet

Eu já comi comida que caiu no chão

Nunca espiei uma pessoa escondida no carro

e já sai de noite atrás de outra (como assim?).

Já comi do prato depois de achar cabelo (Meu cabelo).

Já chorei com comercial,

já fiz bolo “solar” (difícil é fazer ficar fofinho),

já fui filha rebelde,

Já fumei muuuito, mas hoje detesto fumaça.

Já chupei cabelo molhado,

já dancei balançando a cabeça,

já virei noite estudando, farrando,

lendo, navegando e trabalhando,

Nunca cortaram meu ponto,

já tirei zero,

já tirei dez,

já joguei no trabalho,

Nunca estourei cartão (aliás nunca tive cartão),

já estraguei almoço,

já peguei no pé,

levei empurrão,

Bati o carro,

me afoguei

Roubei caneta,

me fiz de vítima.

Esqueci torneira ligada,

esqueci chave por fora,

esqueci de fechar a porta, e as janelas e a garagem automática aberta

esqueci comida no fogo.

Perdi dinheiro

Perdi carteira,

Perdi o ano

Perdi excelentes oportunidades de ficar calada,

Perdi um bebê

Perdi a inocência

E namorei em alguns lugares improváveis,

Onde? Ora deixe de ser curioso!

Já me embriaguei e até entrei em coma alcoólico uma vez. Hoje já não bebo.

Tive crise de riso com vários filmes bestas e chorei com outros igualmente idiotas. Me culpei por não ter conseguido ler O Nome da Rosa, mas hoje não me culpo mais

Eu não sei o que é catota, mas adoro arrancar casca de ferida.

Mas nunca, jamais atendi celular no cinema-teatro-reunião (e fico puta quando um FDP atende).

Escrevi poema,

plantei árvore,

fiz blog e fiz filhos.

Já achei que podia morrer, mas hoje quero viver pra criar meus meninos.

Mergulhei em lugares paradisíacos,

Voei de para-pente, fiz trilhas maravilhosas

desmaiei por pressão baixa,

Já tomei anestesia geral

Já fui malvada, mas geralmente sou boazinha.

tenho quadril muito grande,

tenho cara de portuguesa (segundo meu marido),

adoro fazer listas de tudo,

gosto de ir à feira,

e ao super mercado.

Já participei de

greve, passeata,

e também ‘tava na carreata do impeachment,

Já votei no Lula (ei esse podre não é leve!)

E já votei nulo.

Já amei e não fui amada e hoje amo e sou amada (thanks God)

Não acredito em Duendes, nem em fadas

Já dei grito em menino,

já dei palmada em menino,

já menti pra menino,

pus de castigo

E menti para ladrão, isso faz mal?

Mentir socialmente já menti.

Mentir por causa nobre já menti.

Mentir descaradamente já menti,

devo confessar.

Não faço escova, sobrancelha e nem unhas quase nunca e lavo cabelo quando sinto vontade mas jamais passaria oito dias sem lavá-lo por uma escova (eu sou limpinha gente).

Adoro dançar.

Adoro mergulhar

Adoro conversar

Pari de parto cesáreo e dei de mamar.

Tenho celulite, sobrepeso, e algumas estrias (pequenas)

Às vezes sinto ciúmes mas me controlo e não dou bandeira. Sou completamente mental, embora a maternidade tenha aberto em mim a torneirinha do choro.

E tenho mais um monte de podre que não quero escrever aqui.

Confesse você também

9/10/2005 12:37:36 PM

Mamãe Ogra

Às vezes a gente perde a paciência e faz coisas com nossos filhos que jurou que nunca fazer (na prática a vida é tão diferente da teoria). Ontem foi um desses dias.

Depois de aguentar uma TPS – Tensão Pré Soninho daquelas (com choros, birras e dengos), eu surtei e soltei os cachorros em Juju.

Um pouco depois ela me olhou com a carinha mais linda do mundo e perguntou:

-Mamãe: é por quê você tá retada?

Eu, ainda com raiva e querendo mostrar que tava sem saco pra dengo respondi:

-Porque você tá chata e chorona e eu tou sem paciência.

Ela parou pensou e continuou:

-Mamãe: por quê eu chorei?

Depois fiquei me roendo de culpa. Ser mãe é carregar a culpa do mundo!

GRRROOARRRR

9/9/2005 11:07:45 AM

Entrando na ciranda

Não sei costurar (mas faz parte dos meus planos aprender), bordo em ponto de cruz (só coisinhas básicas, e o avesso é horrível), nem tricotar, nem fuxicar. Não faço crochê, nem tricô, mas faço coisas bonitas com miçanga, palha da costa e tenho jeito pra trabalhos manuais em geral, pintura e adoro desenhar (embora não faça grandes coisas). Não sei tocar nenhum instrumento (quero aprender violão), mas adoro ouvir música, gravar cds e modéstia às favas, tenho excelente gosto musical. Não sei cantar, mas canto assim mesmo, principalmente no carro, ouvindo meus cds. Fotografo relativamene bem, sei alguma coisa da teoria e minha máquina é uma Nikon de 1964, que está com o fotômetro quebrado (me forçando a fazer cálculos mentais toda vez que a uso) e pesa como mil diabos. Na verdade depois da máquina digital, eu deixei a de verdade meio às moscas. Eu adoro ler, e sempre que encontro um livro bom, mergulho nele e esqueço do mundo. Escrever pra mim é profissão; Assim como todo mundo que não sabe fazer mais nada, sou redatora. Às vezes detesto o que escrevo (não consigo passar pro papel o que eu quero, da forma que quero), outras vezes me surpreendo, sai bem explicadinho. Sou meio analfabeta pra tecnologias. Como boa taurina, demoro a me adaptar com as novidades (ainda não sei programar o vídeo cassete) . Gosto de diários, mas não tenho paciência pra escrever tudinho e sempre ficam todos pela metade. Hoje em dia me dedico a este blog (que também é abandonado de quando em vez). Amo animais desde sempre. Minha mãe é veterinária e em casa sempre temos bichinhos. No momento eu tenho 2 cachorros (Goddard e Capitu) e dois gatos (Fellini e Frida). Adoro flores, ter a casa florida me deixa feliz. É como se a vida fosse mais colorida e perfumada com elas por perto. Minha paixão mesmo são as orquídeas, que estão por toda parte aqui em casa. Nesse momento várias delas estão floridas e eu agradeço a Deus de serem tão fáceis de cuidar. Gosto muito de gente mas não tenho paciência com ignorância. Moro num sítio, cercada de mangueiras, cajueiros, goiabeiras e bananeiras. Minha casa é relativamente perto da praia e eu tou começando a tomar vergonha na cara e ir de manhã pra tirar essa cor de mofo. Tenho corpo e alma gordos. Adoro uma boa mesa, sou louca por chocolate, e até cozinho bem. Sou tolerante até certo ponto, agüento muita coisa calada, mas não queira me ver explodir. Detesto dever, por isso não tenho cartão de crédito e nem talão de cheque. Gasto o que ganho e vivo sem grana; Embora não tenha uma vida de luxo, não me queixo da sorte. Adoro dar e receber presentes (como ando muito sem dinheiro, gravo cds e presenteio os amigos com músicas que acho que eles vão gostar). Não sei pedir, aliás detesto pedir, minha mão fica suada e eu gaguejo e fico burra. Só peço em caso de necessidade extrema. Não sei cobrar, por isso sou péssima vendedora. Depois de ser mãe virei uma chorona de marca maior, mas tenho muita vergonha e chorar em público e disfarço como posso. Nem sempre termino o que começo, tenho muitas idéias e pouca determinação. Amo minha família mas às vezes tenho vontade de esganar cada um dos membros dela. Sou feliz, embora tenha estado um tanto melancólica.

Ahh! E detesto revisar textos, por isso de vez em quando aparecem erros que nem eu acredito!

Entre na roda