A revolta dos eletrodomésticos (e eletro-eletrônicos)

Primeiro foi o fogão. Quebrou o botão de ligar o forno, tornando uma maratona esquentar qualquer coisa. Na seqüência o microondas parou de funcionar, o led fica piscando a palavra ¿potência¿, desafiando, rindo da nossa cara e mostrando como somos impotentes. Aí uma das televisões resolveu aderir à grave e não mostra mais imagem, só aparece uma linha horizontal, de luz, no meio da tela.
O DVD da sala, só de sacanagem, resolveu ficar ligado direto, o botão power faz ouvido de mercador a qualquer comando. Para desligar o aparelho temos que tomar uma medida drástica e arrancar a tomada.

E quando eu achava que não podia ficar pior do que estava, ficou: minha impressora travou, piscando todas as suas lâmpadas e mostrando na tela do pc um aviso no mínimo esdrúxulo: Algumas peças no interior da impressora estão a chegar ao fim da sua vida útil. Consulte a documentação da impressora Ou seja a impressora trava a uma quantidade X de impressões, estando ela quebrada ou não, é mole?

Hoje tive um grand finale , quer dizer: eu espero em Deus que seja o final dessa porra toda. Meu gravador de dvd não está gravando.

A experiência me diz que quando as coisas começam a quebrar em série, o que temos a fazer é sentar e esperar quietinho, rezando pra que acabe logo, e os danos não sejam grandes demais. Agora é começar a tomar as providências de consertar tudo ou pelo menos o que der pra ser consertado. O fogão, esse agitador incendiário, precursor do movimento, eu devo mandar pro exílio na Sibéria.

Diga aí