9/8/2008 03:57:23 PM

Por que eu estou irremediavelmente apaixonada por João Gilberto.

O show começou com uma voz em off dando algumas recomendações básicas: onde ficam as saídas de incêndio, é proibido fotografar e coisas desse tipo. No final a tal voz avisou: Em qualquer show deve-se desligar o celular e nesse em especial. A platéia riu, divertida, já conhecendo a fama de mal humorado que este artista injustamente carrega. João, um senhorzinho de cabelos brancos, chegou ao palco com seu violão, sentou-se num banquinho, enquanto nós aplaudíamos de pé. Ele falava baixinho, com voz doce, de como a Bahia é especial pra ele. Eu acreditei.

O repertório foi escolhido a dedo. Durante todo o show Caymmi esteve presente, e na hora que “Acalanto” foi cantada, eu chorei. Chorei emocionada com a beleza da música, da voz, do arranjo e com saudade de Caymmi e de meus avós.

Adorei ouvir a versão de Lígia, que só João Canta e que é muito melhor que a outra. Achei fofo ele cantando “o Pato”, depois de algumas músicas mais densas, mostrando o lado mais leve e lúdico de sua música. Lembrei de quando eu era menina e cantava junto com minha vó Zélia “…Que um quarteto ficará bem, muito bom, muito bem…,” e pensei em Luisa, que é a cara do pai e estava lá no teatro, linda, com sapatos de zebrinha.

No show teve de tudo, um ventinho chato que batia na cabeça do músico e incomodava como o quê, um celular que tocou, um alarme de relógio com seu pi-pi irritante, gente mal educada que tirava fotos com flash (mesmo sendo proibido e inútil) e algumas pessoas que gritavam pedindo músicas (só faltaram gritar: Toca Raul!) e reclamando pra que aumentassem o som. João, de bom humor, respondia a todo mundo com carinho e educação, mas sem perder o rebolado e nem deixar que tomassem conta do show dele.

Já perto do final ele cantou Chega de saudade e a platéia em peso sussurrou, acompanhando a música que todo mundo sabe de cor e salteado, mostrando reverência e respeito. Fiquei arrepiada; Foi muito lindo.

Durante todo o Espetáculo (espetáculo com E maiúsculo mesmo) fiquei pensando em assistir a esse mesmo show no Palau de la Musica Catalana, em Barcelona. Lugar mais lindo do mundo, digno de João Gilberto.

Na saída todos estavam alegres, felizes de estar lá, e eu pensando como sobrevivi 35 anos sem nunca ter visto João cantar. Meu pai estava comigo e no rosto mostrava todo o seu contentamento. Enquanto eu tagarelava sem parar das maravilhas vistas ali, ele me esnobou solenemente, falando que já tinha visto João cantar, com Elisete Cardoso lá no nosso apartamento em Copacabana, gente fina é outra coisa.

9/5/2008 04:27:39 PM

A Novela dos convites

Foi assim ó… primeiro eu soube que teria convites para mim e mais próximo do dia do show (é pessoal, o convite é pro Show de João Gilberto, que esgotou em 40 minutos) eu saberia onde buscá-lo.

Aí que ontem me passaram o telefone do DR X, que estaria na Cardio Pulmonar e eu deveria buscar com ele. Liguei e o cara a princípio foi bem rude comigo, eu expliquei que só queria que ele olhasse se meu nome tava na lista. Estava.

Aí ele mudou o tom, e me falou para buscar lá no cons. Dele até as 5 da tarde. Eu que saí do trampo depois de 19:30, não pude ir…

Aí combinei de ir buscar de manhã… ele estaria lá, depois das 9:00h. Fui e não tinha absolutamente nenhuma vaga para estacionar, como eu já tava atrasada pro trabalho, vim embora e pedi pra meu pai pegar pra mim. Ele passou quase 11:00h e DR. X ainda não tinha chegado. Seu João (meu pai) não podia esperar e foi para seu compromisso.

13:30 no meu horário de almoço passei na Cárdio e o médico não estava mais lá…. Liguei pra ele, e ele me explicou que tinha devolvido os convites para a produção. Eu deveria ir ao hotel que João está e procurar Sr. Y ou Dona Z. Almocei e e fui para o tal hotel… chegando lá, ninguém atendia o telefone em nenhum dos quartos da produção, nem Y, nem Z, e nenhuma outra letra do alfabeto. Aí voltei pro trabalho meio triste, com a sensação que o Show de João subiu no telhado, pelo menos pra mim.

Então me veio uma luz… liguei pra minha amiga Janete, amiga de João, e o marido dela estava a caminho do hotel, pedi pra ele pegar os meus convites e como a esperança é a última que morre, tou aqui, com a roupa na mala do carro, doida pra receber um telefonema dizendo: “HABEMUS CONVITE”

9/4/2008 11:59:10 AM

Porque eu vou assistir Tropical Thunder

Hoje eu recebi um email pedindo para boicotar, e não assistir um filme americano que supostamente estaria entrando em cartaz hoje. Eu ainda não tinha ouvido falar de “Tropic Thunder” Googlei pra ver do que se tratava. Primeiro vi que no elenco estão os impagáveis Robert Downey Jr, Nick Nolte e Bem Stiller, que ainda é responsável pela direção do longa.

Ora, com um elenco desses o roteiro pode ser qualquer coisa, e na verdade foi exatamente o que me pareceu… Algo sobre atores que ao fazer um filme de guerra, começam a adquirir a personalidade dos personagens, mas eu certamente vou assisti-lo. O filme, que está entre os 10 mais assistidos do país, ainda não entrou em cartaz aqui em Salvador (talvez amanhã).

Voltando a falar do tal boicote… o motivo dele é o uso da expressão “retardado”. Eu não entendi exatamente como a expressão é usada na película e se da forma como está inserida no roteiro pode ferir alguém “com problemas intelectuais”. Acho que a pessoa que me mandou o email, também não assistiu ao filme (seria no mínimo esquisito ela me pedir para não ir ao cinema, tendo ido) e por tanto também não tem embasamento para julgar a forma como “retarded” foi dita, né?

Eu posso falar por mim, mas para poder dar opinião sobre um autor, livro, filme ou o que quer que seja, necessito conhecê-lo, então, depois e ver o filme, volto e conto o que achei!