Omar, o belo.

Antônio ia se chamar Bento mas uma semana antes dele nascer Fernando decretou:

– Não quero que o menino tenha esse nome.

Não teve santo, reza ou ponderação que o convencesse do contrário e então juntos começamos a escolher outro nome para o rebento.

Meu pai fez várias sugestões (algumas sérias e outras nem tanto). Dentre elas, uma em especial virou piada interna.

– Porque vocês não chamam o menino de Omar?

– Omar pai? Em homenagem a Omar Sharif?

– Não. É que se vocês escolherem esse nome eu vou poder perguntar ao meu neto: – Omar, você quando quebra na praia é bonito?

Anúncios

Festival Internacional

Um dos eventos mais esperados durante o ano, na escola dos meus filhos é o “International Festival”. Muito mais que uma festa, é um projeto de estudo.

Cada série escolhe um país (o critério de escolha é simples: procura-se algum aluno estrangeiro ou que tenha morado  no país, ou em último caso, alguém que tenha feito uma viagem recente para lá).

Escolhido o tema, as crianças (e os pais, off course) partem para a pesquisa e os professores de sala, junto com os de artes, música e português, fazem trabalhos utilizando o país escolhido como inspiração.

Esse ano a sala de Tom ficou responsável pela Espanha e foi delicioso ver o trabalho das crianças… fizeram mapas e pintaram bandeiras, na aula de artes estudaram Salvador Dali e fizeram quadros imitando o estilo dele, fizeram tourinhos com bolas de encher e papel marchê, coletaram castanholas, fotos, e vários souvenirs para exporem na sala de aula .

A turma de Júlia teve uma tarefa mais difícil, ficaram responsáveis pela Austria. Meu pensamento quando soube da escolha foi: – Porra Austria? mas o que é que tem na Austria? Quando penso nesse país não me vem nada à cabeça.

Fui à uma reunião com a professora e questionei: -Vamos falar de quê: Hitler, Mozart? A professora argumentou que os Alpes austríacos são lindos, e eu pontuei que realmente são, mas quando se fala em Alpes, todo mundo lembra logo da Suíça. Você consegue alguma imagem mental forte da Áustria? Pois é, nem eu.

Finalmente ficou acertado que a barraca do primeiro ano seria como um teatro (alusão à Ópera de Viena) com cortinas vermelhas e vários fantoches ao fundo. Sim, na Áustria o teatro de bonecos é tradicional. A mesa de servir seria coberta em preto, com um “teclado” feito em papelão, representando Mozart (filho ilustre da terra), nas cortinas foram presos  pequenos violinos com fotografias das crianças. As comidas servidas seriam goulash, chucrute, salsichões com mostarda e como sobremesa teriamos torta de floresta negra e apfell strudell. Tá bom, eu sei que essas comidas são alemãs (menos o strudell que eu acabei de ver na wikipédia que tem origem realmente austríaca), mas a Alemanha é logo ali do lado e os dois países têm culinárias bem parecidas.

Na sala de Tom,  foi bem mais fácil, rolou uma paella e presunto Parma com torradas, além de uma sangria (sem álcool, é claro).

No dia do festival, pela manhã, as crianças ganharam passaportes e se dividiam, enquanto metade da turma “viajava” com uma das professoras para conhecer os outros países, a outra metade apresentava o seu país para os outros alunos da escola. Foi muito lindo e os meninos amaram.

À noite, as crianças se vestiram a caráter, cantaram e dançaram representando seus países e depois se deliciaram nas barracas conhecendo culinárias diferentes (esse ano os países representados foram: Brasil, Japão, França, Espanha, Áustria, Polinésia, Peru, Estados Unidos e Portugal.

Eu, como boa coruja que sou, filmei a apresentação da Espanha e da Áustria, vejam que coisa mais fofa:

Tom é o primeiro menininho da esquerda, vejam como ele dança lindo.

Juju tá um pouco mais difícil de ver mas é a menininha que está à direita do menino alto e que Às vezes fica escondida por ele… Austria tem também a Noviça Rebelde, né? Então a sala dela dançou e cantou “The sound of music”

O Flickr e suas deliciosas ferramentas

Todo mundo conhece o flickr, certo? Um site ótimo pra colocar suas fotos, fazer álbuns, se juntar à grupos…

Eu criei uma conta lá, já faz algum tempo: primeiro coloquei fotos de uma viagem com a família e depois deixei ele sem atualizar. Final do ano passado resolvi criar um álbum para colocar fotos de minhas unhas (Não divulguei porque é uma coisa mais mememe mesmo. Tou tentando cuidar melhor delas e com as fotos consigo ver o desenvolvimento e as cores que escolhi anteriormente).

Mas o que mais me encanta no Flickr são suas ferramentas deliciosas

Quer exemplos?

Com o FlickrPoet você ilustra frases, poemas ou o que quer que seja, randomicamente (essa palavra existe?), com as fotos do site. é super simples: basta digitar um texto qualquer e clicar no botão “show story”. Se não gostar do resultado, clique de novo.

A segunda ferramenta é o “Multicolor search lab” que pesquisa fotos agrupando-as por cores… Na barra de cores da sua direita escolha até 10 cores e veja o resultado. Coisa mais linda.