Coração de Abóbora

Tom estava com uma mania chata. Sempre que algo o desagradava ele dizia:

-Eu odeio isso (ou aquilo).

Um dia, depois de um carão por qualquer motivo, ele se voltou pra mim e disse:

-Eu odeio você, mãe.

Eu expliquei que não queria aquela palavra na boquinha dele. Que não era uma palavra e nem um sentimento legal. Falei que ele podia ficar chateado, e não gostar de alguma coisa, mas odiar… é mais pesado. Também disse que quem odeia está com o diabo (lá ele) no coração. Ódio não é coisa de Deus.

Ontem, na hora do almoço, o safadinho comeu um pedação de bolo. Eu, no meu papel de mãe, preparei o prato dele com tudo o que tinha direito: arroz, feijão, carne, batata e abóbora.

Na hora que ele, sem fome, viu o prato feito começou a ladainha…

– Eu não quero abóbora, nem adianta que não vou comer.

Eu pedi à Regina que guardasse o prato dele no microondas. Decretei que nada além daquele prato de comida poderia ser servido pra Tome quando ele sentisse fome comeria tudo. Ele continuou reclamando e num momento entre choro, birra e mal criação me explicou:

– Sabe o que é mãe? É que eu tenho o diabo no meu coração de abobora.

Eu quase caio da cadeira de dar risada, é claro. Meu pequeno Rato Careca Urso Polar Aquático Orelha de Pedra agora tem mais um complemento oficial: Coração de Abóbora. Não é lindo?

Anúncios

What’s in a name? That which we call a rose By any other name would smell as sweet.

Sábado passei nos Sam’s Club para comprar umas coisinhas que estavam faltando para a festa de dia das Mães lá no núcleo. Eu adoro super-mercados e geralmente é um prazer passear entre as gôndolas olhando as promoções. Dessa vez  não dava tempo para grandes descobertas, Nando me esperava no carro e a pressa era necessária.

Bem no meio do corredor central, em uma das ilhas promocionais, meus olhos se encontraram com uma fôrma dilicone, para bolos, em formato de rosa. Foi amor à primeira vista: nunca tinha assado um bolo em fôrmas de silicone e confesso que tinha algum preconceito em relação a elas. Resolvi arriscar mesmo assim e trouxe a bichinha pra casa. Hoje fizemos nosso primeiro bolo beato (piada interna. Só entende quem namora). Embora as pontinhas tenham ficado queimadas crocantes, eu gostei do resultado.

E aí, aprovada?