Kikos Marinhos

No final dos anos 70 ou início dos 80 (sim amigos, eu estava lá) Salvador foi tomada por uma nova febre, assim como os iô-iôs da Coca-Cola, bambolês e patins.

A onda do momento era os “Kikos Marinhos”. Se você é mais novo que eu e não tem a menor idéia que é isso, eu explico: era uma kit que você comprava na banquinha de revista e vinha com dois envelopezinhos tipo ki-suco (um contendo ovos desidratados de um animalzinho marinho fantástico e outro com comidinha para alimentá-los) encartados num papelão grosso com desenhos de animaizinhos humanóides que garatiam ser os melhores pets jamais vistos.

Se vc não estava lá talvez também não saiba que naquele tempo não existia nada parecido com código de defesa do consumidor e o que era anunciado muitas vezes era bem diferente do que vc realmente levava pra casa. Assim eram os bichinhos… quer dizer os supostos bichinhos porque nem eu, e nem ninguém que eu conhecia, jamais viu nem a sombra deles. Depois de misturar o pozinho do envelope 1 com a água do copo, ficávamos durante dias, semanas olhando aquela água parada e esperando os humanóides rabudos eclodirem para vir brincar e fazer acrobacias como nos era prometido. O que acontecia é que geralmente minha mãe via a água ficar verde e mal cheirosa e deitava nossa experiência pela privada abaixo. Íamos novamente à barraquinha munidos de nossa mesada e reiniciávamos o processo.

Talvez você ache que éramos todos idiotas por acreditar em tal promessa, e continuarmos a gastar nossas economias em um brinquedo tão frustrante, sem ter nenhuma prova da existência real dos Kikos.  Mas éramos crédulos naqueles tempos pré internet e corria a boca pequena que a amiga da prima de uma vizinha tinha uns Kikos enormes que brincavam com ela e tudo. A prima da nossa amiga tinha visto e garantia. Certamente nós tínhamos feito alguma coisa errada. Isso não aconteceria da próxima vez (infelizmente a história se repetiu over and over, só mudando um pouco o final… uma vez eu derrubei o copo sem querer e chorei copiosamente sobre os cadaverezinhos invisíveis… daquela vez teria dado certo e eu estraguei tudo.)

Essa história facilmente ficaria esquecida em algum recôndito da minha memória, e lá esteve adormecida por todos esses anos. Esse mês, entretanto, numa viagem aos EUA, encontrei numa loja de briquedos a versão americana dos Kikos. “Sea Monkeys” é como chamam os bichinhos por lá. Não resisti e comprei o kit (não me chame de idiota. Talvez crédula demais ou ingênua, embora eu prefira acreditar que não perdi a fé na humanidade, nem deixei de confiar na sorte e apostar coisas que não compreendo).

Preparei as crianças para a provável decepção contando da minha experiência pregressa e ainda expliquei que caso nascesse alguma coisa daquela experiência a probabilidade de serem aqueles bichinhos fofinhos da caixa era quase nula.

Pegamos o aquariozinho que veio no kit (antigamente usávamos um copo qualquer), colocamos um anti-cloro (que na primeira versão não existia, ou pelo menos não lembro dele) e esperamos 24 horas pra a água ficar pronta.

No dia seguinte colocamos os ovinhos e mexemos a água.

Sabem o que é mais incrível? Nasceram uns bichinhos que a princípio pareciam pequenas virgulas transparentes em corpo 6, que movimentavam com desenvoltura pelo pequeno habitat.

A cada dia que passa (hoje faz uma semana que os ovos eclodiram) os bichinhos ficam maiores e o maior deles já tem o tamanho de uma unha. Eles parecem um cruzamento de barata do mar com pulga (ah eles tem um rabinho sim, mas daí a compará-los com macacos é uma puta licensa poética).

Posso ser sincera? Estou adorando meus Kikos Marinhos. Todos os dias quando chego do trabalho corro pra ver como eles estão, do mesmo jeito que Ju e Tom fazem quando chegam da escola. Chamo eles de meus nenéns e coloco na varanda pra pegarem uma luz mais intensa (eles não gostam de sol direto). Estou pensando até em colocar nomes para chamá-los individualmente (o problema é saber quem é quem). Voltei à infância e estou “lavando a jega”: Yes we can.

41 comentários em “Kikos Marinhos”

    1. ó aí Dani… você já deu ideia de nome pra um. Tabajara é ótimo: pode ser macho ou fêmea (não tenho a menor ideia de como diferencia-los por sexo… quer dizer: se eu vir eles cruzando posso intuir que o de cima é o macho mas até o momento ou eles são celibatários ou tímidos). Dá até pra chamar carinhosamente de Taba. Adogay

      Curtir

  1. hahahahaa, minha irmã! Só você, viu?
    Mas se eu visse esses kikos pra vender, mesmo sem nunca ter ouvido falar deles, claaaaro que eu compraria, rsrrss
    bjo
    te amo

    Curtir

  2. Pelo seu vídeo, esses Kikos parecem muito com artêmias vivas, que eu usava para alimentar os meus peixes. Se eu comprasse os ovos, o processo é exatamente como você descreveu: Água sem cloro, ovos, alimentação. E eclodem como ratos !

    Se quiser melhorar a brincadeira, pet shops especializadas em aquários tem esses ovos à venda ou, até mesmo, as artêmias já vivas.

    Curtir

  3. Oi Dani,

    Minha estoria e parecida. Cai no conto dos Kikos Marinhos quando era crianca no Brasil e um dia estava numa loja da Australian Geographic aqui, nao me controlei e tambem comprei um kit aquario. Os meus kikos estao vivos ate hoje no meu escritoria eheheh.

    Curtir

  4. ow my God!!! vc salvou a minha infancia!!! Eu arrastei por tantos anos a decepção dos Kikos Marinhos, q até contei sobre eles pros meus filhos, e a minha estoria triste era pq o namorado da prima da minha amiga “tinha” na casa dele mas não deixava ninguem ver… afffffff… qdo estiver fora do Brasil vou procurar, ou talvez não… lembrei q qdo eu era pequena tinha medo q eles crescessem (caso vingassem) e dominassem a familia… eu assistia mto scy-fy de má qualidade naquela época… A grande vdde é q naquela época já recebámos os “tabajaras” como alguem mencionou aí, provavelmente já mortos (ovos goros) e sem nenhuma informação ou produtos de manutenção…
    Adorei seu texto…

    Curtir

  5. Lembro-me que na época (DÉCADA DE 70) quando iniciei a minha criação dos meus Kikos Marinhos os meus reais objetivos era encontrar alguma idéias para utilizá-los na mágica, mas como os meus não cresceram e duraram muito, terminei desistindo do meu sonho… E depois a “febre” dos Kikos Marinhos terminou e nunca mais os encontrei para comprar mais.

    …e HOJE, PESQUISANDO NA INTERNET, percebi que eles AINDA EXISTEM!!! Principalmente nos Estados Unidos.

    – – > Quando os “criei” eles não passaram do 0,5 cm de comprimento o que fez me decepcionar um pouquinho… mas mesmo assim muito me fascinavam.

    Curtir

  6. ADOREI saber que NINGUÉM viu os tais Kikos… foi realmente muito frustrante à época… qdo vir por cá, em terra brasilis, vou comprar para meu filho! Parabéns pelo texto!

    Curtir

  7. Eu lembro sim. Acho que foi o maior golpe publicitário da época hehehe Uma amiga comprou e ficava esperando e nada..dia apos dia e nada hehehe. Adorei encontrar sua pagina e ve que outras pessoas tiveram humor pra lidar com as frustraçoes. Que bom que vc deu sorte depois..agora to curiosa pra saber como esses bichinhos são.

    Curtir

  8. Conversava sobre isso ontem com um primo e ele me falou sobre sua experiência com os tais kikos marinhos, eu pensei que isso era ficção porque além de ser inverossímil só lembrava de haver visto uma citação aos mesmos num filme em que o Nicolas Cage diz de sua frustração por esperar que nascessem os tais bichinhos (que nunca nasciam). O caso é que após pesquisar chego à conclusão que provavelmente os ovos não eclodiam por causa do cloro na água. Ademais, se são marinhos como podem viver em água doce?

    Curtir

  9. Eu tbm comprei os tais kikos , mas soube depois q o q aconteceu no Brasil é q os envelopes vieram trocados onde tava escrito ovos era alimento onde tava ovos eram o limpador de agua e assim entao eles morriam pois colocavam os ovos na agua primeiro depois colocavam o limpador rsrsrsrsr !!!

    Curtir

  10. Nossa, gastei muito tempo esperando pra ver aquela família de Atlândida que eles prometiam!!!Agora depois de 40 aos fiquei empolgada com a possibilidade de vê-los de verdade!Obrigada

    Curtir

  11. Minha mãe não deixava eu comprar isso, em minha cidade era muito caro. Havia para comprar no supermercado no local dos brinquedos.Lembro da propaganda nos programas infantis do Sílvio Santos. Na embalagem tinha um desenho do casal dos kikos “humanóides”.

    Curtir

  12. Os Kikos Foram lançados no programa do Flávio Cavalcanti (maior ibope na época) canal 4 e de um maneira que no dia seguinte meio mundo foram às lojas “Fotoptica” que era a única neste momento credenciada à vender os Kits,que foram introduzidos no Brasil por argentinos espertos porém totalmente de maneira empírica visando e obtendo altos lucros em parceria com o Flávio e o Ferreira Goulart na época intermediou o negócio entre os 2.

    Curtir

  13. Puxa…minha mãe pretendia comprar os tais Kikos até que perguntou para a balconista se teria que trocar a água como num aquário comum e se os bichinhos duravam muito tempo….depois que a moça informou que era só tirar o animalzinho morto com um palito de sorvete caso ocorresse o óbito, minha progenitora ,tomada por um certo nojo reforçado pelo aspecto esquisito do bicho na ilustração da embalagem ,achou melhor deixar pra lá frustrando minha curiosidade infantil . Agora que li seu texto,relembrei da época e resolvi minha frustração…rs… Com certeza muita gente misturou esse pozinho fajuto esperando seres fantásticos. Pagaram mico? Fizeram papel de idiotas? Hoje as pessoas diriam isso, sem dúvida. Mas naquela época ainda existia uma certa ingenuidade saudável. Aquela espera mágica de ver os tais ovinhos eclodirem ,de brincar com bichinhos de ficção científica…imaginação pura. As crianças de hoje não se convenceriam enquanto não pesquisassem no Google. ..rs
    Nem eu e muito provavelmente nem a balconista da loja conhecemos os Kikos…mas ,e daí ? A magia prevaleceu, tanto que agora vou querer comprar os Sea Monkeys para minhas filhas!
    Obrigada! Amei relembrar ! : )

    Curtir

  14. Comprei o Kit do Kikos Marinhos em 1979, tinha 10 anos. Prometi ao meu vizinho e amigo que daria um casalzinho dos Kikos, assim que ficassem grandinhos…

    Curtir

  15. Quando ouvi falar dos “maravilhosos” Kikos, estavam à venda apenas na Cidade das Crianças em SBC, fui até lá…não consegui ver os kikos no aquário, me decepcionei e decidi não comprar.
    Hoje ao ouvir uma notícia sobre a Cidade das Crianças, me lembrei dos kikos; comentei com meu marido que também se lembrou do acontecimento, digitei no google só por curiosidade. Não imaginei que tantas pessoas iriam se lembrar.
    ….doce infância!!!!!

    Curtir

  16. São artemias salinas, facilmente achadas em lojas de aquarios como alimentos para peixes. Precisam de muito sal na água, daí se desenvolvem.

    Curtir

  17. Passei por isso também, mais na época ninguém ouviu falar nas artemias salinas, a propaganda era provocadora ter ser da cidade de Atlantida em minha casa, ou então ser extra terrestre. Só que posso dizer é que valeu cada centavo gasto nos kikos marinhos ótimo o mundo da fantasia.

    Curtir

  18. Eu passei por isto.Ficava ali sonhando com eles e nada! desistí. Hoje com 60 anos,entro na net e vejo que os pestinhas esistem! não da maneira que imaginava! é…mas naquele tempo não contávamos com a tecnologia de hoje.Quero agradecer as pessoas que tiraram minhas dúvidas e dizer que fiquei feliz por ter,assim como outras pessoas vivido neste maravilhoso mundo de fantasias.FAZ PARTE! Obrigada KIKOS MARINHOS por terem feito parte do meu passado.

    Curtir

  19. kkkkkkk Eu pensei que isso era uma falsa lembrança minha. Hoje lembrei disso e procurei na internet, vindo parar aqui nessa página. Que legal. Hoje tenho aquário em casa e saber que eram artêmias, usadas como alimento vivo para peixes ornamentais é meio frustrante e engraçado. Não cheguei a comprar os kikos quando criança, mas ficava curioso se tinha algum ser estranho que nasceria desses ovos. Legal

    Curtir

  20. Putz, eu estava lah naquela década dos kikos marinhos originais mas não consegui obte-los e saciar minha curiosidade de como seriam e como era o “renascimento” dos ditos. Seu relato foi esclarecedor e reconfortante. Obrigado e parabéns pelas aquisições!

    Curtir

  21. Os meus,naquela epoca,pareciam-se c/os seus no inicio:pareciam girinos minusculos,e transparentes…mas nao passaram disso,e”morreram”rapidinho!

    Curtir

  22. Fico aliviado em saber que tantos tiveram a mesma decepção que eu na infância com o tal do Kiko’s. Chegava a sonhar com o nascimento deles, mas o máximo que eu vi foram larvas.
    Muito legal o texto.

    Curtir

  23. Amei seu relato sobre os Kikos Marinhos!! Ontem fui surpreendida com a lembrança da existência deles e meu filho, de 14 anos me perguntou de que se tratava. Comecei o relato contando que eu nunca tinha visto, mas todo mundo tinha…. rsrsrsrs…eram camarõezinhos, acho….
    Então, em tempos de internet, fui pesquisar e achei sua história! E com final inesperado! Muito bom! Adorei!!

    Curtir

  24. Minha escola recebeu esse kit e estou cultivando em minha turma do quarto ano. São Artemias Salinas e servem de alimentos para peixes ornamental e camarão.

    Curtir

  25. Oi, Maria!
    Conversando com minha mãe hoje cedo surgiu o assunto dos Kikos Marinhos. Tentei explicar a ela do que se tratavam, mas me dei conta que eu mesma nunca tinha entendido direito. Me lembro de relacionar o assunto a algo fantástico, algo “não comprovado”… meus pais não compraram pra nós na época em que virou febre e fiquei “no vácuo”… até que hoje, com quase 51 anos, resolvi ir atrás de decifrar como, enfim, um pozinho vendido em banca de jornal poderia se tornar em animaizinhos nadadores. Graças ao seu ótimo texto e a algumas poucas pesquisas na rede, pude esclarecer esse assunto suspenso na minha memória! Obrigada! Adorei!!!!
    Um beijo! 😉

    Curtir

  26. Olha que legal pensei que só eu lembrava disso por volta de 1976 meu pai me deu uma cartela dessas com esses bichinhos, e fiz como nas instruções nada aconteceu depois de 6 dias , joguei a agua fora com tudo e minha vó me deu outra cartela daquela com esses tais bichos, fiz então com água filtrada e depois de 2 dias eles começaram a sem mover de verdade e com cuidado trocava a agua sempre filtrada de dois em dois dias depois de uma semana estavam com um centimetros e estavam com uns rabinho era uma criatura estranha lembro bem que depois de 30 dias morreram em 2015 pesquisei na internet sobre isso e li que vende nos EUA e pedi para uma amiga lá em NY me enviar umas 4 cartelas para relembrar aquela época e fiz sempre com agua filtrada e não é que deu certo o segredo é a água filtrada, eles são sensíveis a agua de torneira por causa dos aditivos quimicos, mas tem que ser agua mineral de garrafão sem gás por favor rrrsssss , els duram uns 60 dias. Abraços pessoal.

    Curtir

  27. Todo dia no caminho de casa para a escola, eu olhava a caixa do kit na vitrine de uma pet shop, mas relatos negativos de compradores no rádio desmotivaram meus pais a me presentear com os Kikos Marinhos, no meu caso o ano era 1979. Se um dia no exterior eu ver os Sea Monkeys disponíveis para venda, não pensarei duas vezes em realizar esse desejo de criança. Parabéns pelo relato fantástico, Maria João.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s