Bolo de Coração

É verdade que o Caboclo Postadô anda monotemático, o sujeito não tem deixado eu escrever a respeito de nenhum assunto que não seja comida. Eu penso em falar de outro assunto e quem disse que sai¿ Nem com reza braba.

A postagem mais vista e comentada de todos os tempos aqui no Trapos é a que eu falo do Bolo Arco-Íris (uma prova que comida sempre deu ibope por essas bandas), então quando em minhas navegações virtuais eu encontrei  esse bolo de coração, fiquei  doidinha pra dividir com vocês. Aqui vai ele.

Quero lembrar que a ideia não é minha e as fotos também  não são minhas. Peguei aqui ó:

Como de costume faço uma livre adaptação da receita mas vcs já sabem que até massa de bolo pronto serve (desde que seja branquinho).

Imagem

Imaginem a surpresa de cortar um bolo branquinho  e encontrar um coração encarnado dentro dele¿ lindo demais, né¿

Imagem

Vamos lá¿

Pra começar use 4 formas redondas de 25 cm e faça 4 receitas de bolo branco.

Eu gosto desta receita aqui:

Ingredientes (todos em temperatura ambiente)

200 g de manteiga

02 xícaras (chá) de açúcar refinado

04 ovos

03 xícaras (chá) de farinha de trigo

01 xícara (chá) de leite

02 colheres (chá) de fermento químico em pó

Modo de preparo:

Peneire a farinha junto com o fermento (isso é importante para garantir mais leveza ao seu bolo). Separe as claras das gemas.

Na tigela da batedeira coloque a manteiga, as gemas e o açúcar. Bata por uns 10 minutos até obter um creme clarinho. Despeje esse creme em uma tigela maior e vá alternando o leite e a farinha mexendo delicadamente com uma espátula até a massa ficar bem homogênea (não bata muito nessa estapa, apenas misture). Adicione as claras batidas em neve (ponto firme) fazendo movimentos circulares de baixo pra cima, envolvendo toda a clara na massa, girando a tigela.

Unte e enfarinhe as formas e asse em forno médio até o palito sair limpo.

ImagemE faça também uma receita de bolo Red Velvet ou veludo vermelho (para esse pode usar qualquer assadeira)

Ingredientes

5 ovos inteiros
2 xícaras (chá) de açúcar refinado
1 pitada de sal
100grs de manteiga sem sal
1 colher (sopa) de cacau em pó
70g de chocolate meio amargo derretido
2 xícaras (chá) e 3 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
¾ de xícara (chá) de creme de leite
1 colher (sopa) de corante vermelho morango
1/4 de xícara (chá) de vinagre de maçã

Modo de preparo

Bata os ovos com açúcar. Adicione a manteiga derretida com o cacau em pó e o corante vermelho. Incorpore o chocolate derretido. Misture a farinha já com o fermento. Acrescente o creme de leite delicadamente. Asse em forno 160º/170º.

Imagem

Agora que os bolos estão prontos nivele a parte de cima de cada um dos bolos brancos, essa etapa é importante para que dê tudo certo na hora de montar.

ImagemFaça uma receita de recheio e monte os bolos brancos de dois em dois.

Recheio:
300g de cream cheese
85g de Manteiga
1 e ½ xícara (chá) de açúcar
1 colher (chá) de essência de baunilha

Modo de preparo
Misture o cream cheese e a manteiga, tenha a certeza que os dois estão na mesma temperatura para evitar grumos.
Adicione o açúcar e por fim a baunilha.

Imagem

Com um garfo esfarele o bolo red velvet sem dó nem piedade, misture um pouco do recheio pra deixar ele mais molhadinho e deixe na geladeira por umas 2 horas.

ImagemFaça um compasso com dois palitos de dente e um cordãozinho e marque o bolo.

Imagem

coloque um palito no centro e segurando-o com firmeza, circule o bolo com o outro. Vai ficar assim.

Usando essa marcação como guia corte em formato de V, (estreitando o corte na parte inferior)

Imagem

A parte de cima do bolo (os outros dois bolos brancos) é um pouco mais difícil mas vamos lá: Comece pelo centro do bolo formando essa pequena ilha. Depois com o compasso corte o perímetro maior em direção ao centro.Imagem

Imagem

Agora com uma colher arredonde o corte do bolo (isso é que vai formar a parte de cima do coração).

Aqui estão as duas metades do bolo preparadas para receber o preparado de bolo vermelho.

Preencha o espaço com cuidado, apertando levemente o bolo vermelho pra não deixar espaços vazios e com cuidado para não danificar o bolo branco.

Imagem

Agora que as duas metades estão prontas, leve-as  para refrigerar por 15 minutos, o bolo dá uma assentada nesse tempo.

Coloque um pouco do recheio nos lados do bolo de baixo para colar as duas metades e boa sorte. Tenha certeza de saber qual é a parte de cima e a de baixo, já pensou depois desse trabalhão todo ter um coração de cabeça pra baixo (igual a interrogação do meu teclado)¿

Imagem

prontinho: é só passer o resto do recheio por for a do bolo todo e usar a cobertura que você quiser para enfeitá-lo.Imagem

Aqui  a cobertura é uma glace branca.

E prontinho, é ou não é o bolo mais lindo de todos¿

Imagem

Anúncios

Iogurte Grego

Semana passada, provei o Iogurte Grego da Nestle e fiquei encantada. Além de ter uma consistência mega-máster-blaster cremosa, o bichinho é gostoso de verdade. Dei uma passada no facebook e compartilhei a dica.

Para minha surpresa, uma querida amiga me falou que faz iogurte grego em casa e dividiu a receita comigo. Outros amigos ficaram interessadíssimos na tal receita e pediram que eu mandasse para eles também.

Então aproveitando esse momento em que o Caboclo Postadô está gordo que só ele, e só me deixa escrever falando de comida, repasso pra vocês essa receita que é de utilidade pública.

Iogurte Grego

Primeiro passo

Coloque a quantidade de leite que quiser transformar em iogurte (geralmente eu uso 2 litros de leite desnatado, mas com o leite gordo fica ainda mais delicioso) em uma panela e dê uma aquecida de leve (que dê pra colocar o dedo sem queimar), eu geralmente falo que essa esquentadinha é pra fazer um clima pros bichinhos do iogurte namorarem e se reproduzirem.

Quando o leite estiver no ponto, misture com um potinho de iogurte natural (eu sempre uso o consistência firme, pois acho que o resultado fica mais durinho), cubra com um pano de prato limpo e coloque para passar a noite no forno (apagado, off course). No outro dia pela manhã vc já tem iogurte natural pronto.

Coloque na geladeira pra ficar bem geladinho (eu deixei de um dia pro outro).

Segundo passo

ImagemVocê vai precisar de um escorredor ou peneira grande, um pano com trama frouxa, tipo tecido de fralda, e uma tigela funda para aparar o soro.
Coloque o escorredor forrado com o pano sobre a tigela e despeje o iogurte.
Cubra então com uma tampa , una as pontas do pano dando nó  e deixe escorrer…
De vez em quando tire o soro  acumulado para evitar que enchendo a vasilha ele entre em contato com o iogurte no escorredor.
ImagemDepois de duas ou três horas verifique a consistência do iogurte, quanto mais tempo escorre mais firme ficará.
Conserve em geladeira e use puro ou misturado a geléias, caldas, frutas, doces, acompanhando tortas, ou mesmo pratos salgados.
Este iogurte serve de base para a coalhada síria, basta escorrer mais tempo (cerca de 7 ou 8 horas). Depois tempere com azeite de oliva e sal a gosto, use para acompanhar quibe, tabule,
charuto de repolho ou pratos árabes em geral.

Querida Isaura, grata pela receita, pelas fotos e principalmente pelo carinho. Quem tem amigos, tem tudo.

Queijo da Serra

Você já ouviu falar na Serra da Estrela¿ É onde encontramos as cadeias de montanhas mais altas de Portugal (continental, tá¿ esqueça os Açores). Devido a sua altitude, a localidade é o lugar mais frio da terrinha.

Esse lugar frio e bonito serve de pasto para as “Bordaleiras Serra da Estrela” ou “Churra Mondegueira”, espécie de ovelha considerada como a de melhor aptidão leiteira. Já viu onde eu quero chegar¿  Ultimamente, aqui nesse blog, tudo descamba para comida e hoje não vai ser diferente. Vamos ao que interessa.

O queijo Serra da Estrela (feito pelas tais ovelhas) remonta ao séc. XII é o mais antigo dos queijos portugueses, esteve presente em mesas reais e foi nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal. Obviamente para os Celestino e os Amado, essa delícia tem lugar de honra no panteão das maravilhas culinárias.

ImagemCerta feita estava eu na Casa do Ribeiro, em São João de Rei, grávida, prestes a voltar ao Brasil e sem saber o que trazer de presente para D. Zélia, quando acendeu uma luzinha na minha cabeça. – Posso levar pra ela um queijo da Serra; prenda melhor não há.

Meu avô Celestino fez a encomenda e enquanto embalávamos a iguaria recebi veementes instruções de como proceder caso o laticínio fosse apreendido.

– Se pegarem teu queijo, você rapidamente destrói ele. Jogue no chão, pise em cima e deixe o pobrezinho completamente incomível, entendeu¿ As palavras não eram exatamente essas mas o sentido era.

Desembarquei no aeroporto de Salvador e além do enxoval para a bebê que morava na minha barriga, trazia na mala uma caixa de barquinhas*, um enorme pão-de-ló de Viana do Castelo (mandado por Natário, amigo dos velhos de toda a vida) e o famoso queijo.  Na hora de passar pela alfândega eu tremi nas bases. A luz verde se acendeu e pude passar sem ser incomodada. Ufa.

À noite, na Casa do Rio Vermelho, tivemos queijo da Serra no jantar.

*Faltou eu explicar o que é a Barquinha, mas isso é assunto para um outro post.