Mudando de opinião

Cena1:
Ontem Antônio estava “naqueles dias”. Voltou da escola brigando, reclamando, procurando confusão com Julia e comigo. Ao chegar em casa ele não alivou e continuou o porre. Me valendo do direito inalienável materno de mandar nas crias, eu passei de Piaget a Pinochet e comecei a dar ordens: Tomar banho, recolher a roupa espalhada, fazer o dever de casa, não bagunçar a casa, etc, etc, etc…
Tom que continuava virado no móio de coentro, desabafou: É por isso que eu só amo meu pai. Eu não gosto de você, nunca gostei e nunca vou gostar.

Cena 2:
Hoje na volta da escola, o moleque vem todo sedutor pro meu lado: – Mãe, alí fica o paintball. Eu tenho a maior vontade de ir brincar lá um dia. Você me leva?
Eu prontamente respondi: – Eu não. Você deve pedir a seu pai, que é a única pessoa que você ama. Lembra que você nunca gostou de mim e nem nunca vai gostar?
E ele rapidamente deu um sorriso maroto e mandou na lata: ah mãe, isso foi ONTEM. E começou a cantarolar rindo: “hoje é um novo dia, de um novo tempo que começou…”.image

Anúncios